Bolo de Ananás e Mirtilos


Uma singela lata de ananás em calda andava perdida pela despensa desde o natal, quando me incumbiram de fazer uma entrada clássica de ananás com bacon... Ora eu, já tão pouco habituada a olhar para fruta enlatada peguei numa lata de ananás, tomando apenas em atenção que era ananás em sumo natural... Pois só ao chegar a casa reparei que o ananás já vinha partido em pedacinhos nada apropriados a serem envolvidos em bacon... No natal, o ananás com bacon virou tâmaras com bacon, e a lata lá ficou esquecida na despensa....
Mas, como sabem, volta e meia, lá há arrumação da despensa e a lata do ananás andava a incomodar-me. Portanto não descansei enquanto não descobri um bolo para a utilizar. Por coisas do acaso, descobri um bolo da Rita Nascimento (La Dolce Rita) no livro “Sobremess 5 5 5” perfeito para gastar a lata do ananás, exatamento no fim de semana em que ela esteve em Coimbra numa sessão de autógrafos dos seus livros. Uma feliz coincidência. E assim saiu o bolo de ananás da Rita e os livros devidamente autografados pela autora, tudo no mesmo fim de semana!!!

E recomeçam os workshops!

Dia 29 de Abril, domingo, das 10h às 13h com o almoço incluído, na Colher de Chá, no Furadouro - Ovar, com o tema "Receitas de Primavera para Desfrutar no Jardim". Inscrições e informações em geral@colherdecha.pt



Ingredientes:
(receita original em “Sobremesas 5 5 5” - Rita Nasimento, página 96

1 lata pequena de ananás em pedaços
1 mão cheia de mirtilos congelados
240g de farinha
240g de açúcar
150g de manteiga à temperatura ambiente
4 ovos
1 colher de chá de fermento em pó

Preparação:

Bata a manteiga com o açúcar até ficar uma mistura cremosa. Junte depois os ovos e 50ml de calda do ananás e mexa bem para incorporar.
Adicione depois a farinha e o fermento envolvendo bem, assim como cerca de 1/3 do ananás da lata partido em pequenos pedaços. Envolva muito bem.
Unte uma forma com buraco com manteiga e polvilhe com farinha, e no fundo coloque o restante ananás previamente escorrido, assim como as mirtilos congelados. Verta sobre eles a massa e alise a superfície.
Leve depois ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 45 minuto.
Retire do forno, deixe arrefecer um pouco e desenforme sobre uma grelha. Depois de totalmente arrefecido polvilhe com açúcar em pó.


Bom Apetite!

Bifinhos de Frango na Frigideira com Alho Francês


As refeições cá de casa têm sido mais simples do que o habitual. Nesta coisa de não desperdiçar e de aproveitar tudo o que há em ca em casa, a semana que passou teve a particularidade de ser uma espécie de “limpeza”, tentando rentabilizar ao máximo o que já havia cá em casa, comprando apenas coisas como fruta, legumes e iogurtes....  Gosto de fazer este exercício algumas vezes, e acho que é uma excelente exercício para tomarmos uma maior consciência do que temos em casa e de como podemos combinar alimentos evitando estragar...
Assim nasceram estes bifinhos de frango com alho francês. Com o que já havia em casa e combinando tudo para rentabilizar ao máximo!

E recomeçam os workshops!
Dia 29 de Abril, domingo, das 10h às 13h com o almoço incluído, na Colher de Chá, no Furadouro - Ovar, com o tema "Receitas de Primavera para Desfrutar no Jardim". Inscrições e informações em geral@colherdecha.pt

Ingredientes para 2 adultos e 2 crianças:

500g de bifinhos de frango
2 alhos franceses pequenos
sal e pimenta q.b.
2 dentes de alho
sumo de limão q.b.
4 colheres de sopa de natas ou natas vegetais ou leite de coco
azeite q.b.

Preparação:

Tempere os bifinhos de frango com sal, pimenta, os dentes de alho picados e o sumo de limão. Deixe marinar (idealmente de um dia para o outro).
Entretanto corte os alhos francês em rodelas finas, lave muito bem e leve-os a refogar numa frigideira com um pouco de azeite. Junte depois os bifinhos de frango e deixe cozinhar em lume brando. Quase no final, junte as natas (natas vegetais ou leite de coco) e deixe apenas levantar fervura.
Sirva com uma salada verde ou legumes salteados.


Bom Apetite!

Queques de Limão e Sementes de Papoila


Programa de fim de semana. Entre muitas outras coisas fazer um bolo (ou neste caso uns queques de limão) para gastar alguns dos que cá andam em casa, que tenho amigos queridos que não em deixam acabar os limões, e umas galinhas, que depois de um longo período de pousio, me têm brindado com muitos, grandes e deliciosos, ovos.
E depois porque aqui por casa há sempre quem apareça para um café, e fica sempre bem ter a boleira recheada...
Para este fim de semana não sei se repita estes queques, mas certamente que vai sair outro bolo de limão. E provavelmente o primeiro gelado do ano, com um sabor muito fora do vulgar, e que me conquistou num evento da Iglo em que estive presente... (Não, não é gelado de bacalhau!!!)
Bom fim de semana!

Ingredientes para 12 queques:

150g de açúcar
raspa da casca de 2 limões
50g de manteiga
210g de farinha
1 colher de chá de fermento em pó
2 colheres de sopa de sementes de papoila
1 colher de chá de pasta de baunilha
2 ovos
125g de iogurte natural

Cobertura (opcional)
100g de açúcar em pó
1 colher de sobremesa de sumo de limão
raspa da casca de 1 limão

Preparação:

Numa taça misture a farinha, o fermento, as sementes de papoila.
À parte bata com a batedeira eléctrica a manteiga com o açúcar e a raspa de limão até obter uma mistura cremosa. Junte depois os ovos, um a um. Junte depois o iogurte e a baunilha e metade da mistura de farinha e mexa bem. Junte depois a restante farinha e mexa até obter uma massa lisa.
Divida a massa pelas formas de queques (ou tabuleiro de queques) previamente untadas e polvilhadas e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 30 minutos ou até estarem cozinhados e ligeiramente dourados.
Retire e deixe arrefecer completamente numa grelha.
Faça depois a cobertura misturando o açúcar em pó com a raspa de limão e o sumo e misture bem. Coloque depois sobre os queques.


Bom Apetite!

“Scotch Egg” de Frango (Receita também em video)


Cá em casa não há garndes adeptos de peito de frango... Quando há frango assado ou se compram frangos de churrasco, o peito sobra sempre, e há que arranjar outras forma de o comer.
Desta vez serviram para fazer uma espécie de scotch egg, um ovo envolvido numa mistura de carne picada, que depois é frito, e que é ideal para piqueniques.
Esta é uma versão para aproveitar o peito do frango e foi muito bem recebida por aqui. E há video, para entenderem melhor todo o processo.



Ingredientes para 3 unidades:

3 ovos cozidos durante apenas 4 minutos
400g de carne de frango desfiada
1 clara de ovo
ervas secas a gosto
noz moscada .b.
1 ovo batido
pão ralado ou panko ou farinha de mandioca

Preparação:

Numa taça misture a carne de frango com as ervas secas, a noz moscada e a clara. Misture bem.
Envolva bem a carne à volta dos ovos, apertando, e de modo a que todo o ovo fique envolvido na carne. (Se quiser pode levar ao frigorífico para ganhar alguma firmeza)
Passe depois por ovo batido e depois por pão ralado e frite em óleo quente até que fique dourado.
Acompanhe com uma salada verde.


Bom Apetite!

Bolachas de Batata Doce, Aveia e Amêndoa


Desde que o Zé Maria nasceu que tenho tido algum cuidado com aquilo que come. Aliás, com aquilo que todos nós comemos. Os alimentos muito processados e embalados, têm, desde essa altura, e aos poucos e poucos, saído da nossa alimentação, e tenho preferido “apostar” em alimentos de melhor qualidade sempre que possível, como os biológicos, carnes de pasto, peixes de “mar, mas sem entrar em “histerismos”, e sem ser fundamentalista de nada. Em tudo há excepções e a carteira e o orçamento familiar mandam muito... Podemos até pagar mais por alguns alimentos de melhor qualidade, mas não compramos outras coisas que, quase deixaram de fazer parte da nossa alimentação diária, ou deixaram mesmo de fazer parte, ou porque prefiro uma versão melhor, com melhores ingredientes, que eu conheço e compro, e passar a fazer em casa. Apesar de ter crianças pequenas em casa, no nosso carrinho de compras não entram, por exemplo, bolachas e bolos industrializados e processados. (Não estou de forma nenhuma a dizer que sou pior ou melhor mãe por isso. É uma opção nossa apenas!) 
Gosto de ser eu a fazer. Mas principalmente de saber o que comem. E enquanto estiver nas minhas mãos a forma como eles se alimentam, vou dar o meu melhor para que eles tenham acesso aos melhores produtos e ingredientes que eu lhes puder oferecer. Na esperança que isso se venha a relevar nas escolhas que farão no futuro em relação à alimentação. Ou seja. Espero apenas estar a dar-lhes ferramentas para fazerem escolhas melhores...
É também por isso que agora, e principalmente ao Zé Maria que tem 4 anos e meio, não lhe nego uma bolacha, um bolo quando ele pede. Mas são sempre as bolachas e os bolos que a mãe faz ou, quando muito, as melhores opções que encontro à venda e que eles gostam. (Há uns tempos, nas instastories, publiquei algumas opções de compra de lanches e snacks para os miúdos! Porque não há mães perfeitas em lado nenhum!!)
Estas bolachas foram uma experiência que correu muito bem e que eles adoraram! E eu também!

Ingredientes para cerca de 20 bolachas

150g de batata doce laranja cozida a vapor
30g de manteiga 
2 colheres de sopa de açúcar mascavado ou açúcar de coco
50g de flocos de aveia
50g de amêndoas com pele
1/2 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de canela em pó

Preparação:

No robot de cozinha colocar todos os ingredientes e triturar bem até obter uma massa mole.
Coloque depois essa massa entre duas folhas de papel vegetal e com o rolo da massa estique bem até ficarem com, aproximadamente 0,5cm de espessura. Com uma forma recorte as bolachas e retire-as muito cuidadosamente (a massa é mesmo muito mole.... tem de ser com cuidado ou perdem a forma, e quantos menos recortes melhor...) Vá esticando e cortando a massa até esta acabar, colocando as bolachas num tabuleiro forrado com papel vegetal. 
Leve depois ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 15 minutos ou até começarem a querer alourar.
Retire cuidadosamente e deixe arrefecer completamente sobre uma grelha.


Bom Apetite!

Entrecosto Lento com Limão e Massa de Pimentão


Com o tempo (e a prática) aprendi que os assados de carne se querem lentos e sem pressas. Portanto os assados são quase sempre almoço de domingo, em que se liga o forno logo pela manhã para estar pronto à hora de almoço.
Os assados podem esperar por nós e não dão trabalho. Escolha-se carne boa, temperos que combinem e forno com eles. Até nos esquecemos que estamos a preparar o almoço, não fosse o cheiro maravilhoso que começa a sair da cozinha alguns longos minutos depois.
Os assados fazem-se sempre em mais quantidade. Porque o trabalho é o mesmo e sabe bem ter sobras para segunda feira ou ainda para o jantar de domingo.
Os assados fazem-se idealmente para muita gente, famílias à mesa, porque rendem sempre muito.
Os assados lentos não precisam de líquidos para cozinhar. Porque como cozinham lentamente libertam os sucos e gorduras da carne para a irem temperando. Não secam e fivam muito mais saborosos.
Além de tudo isto os assados dão-nos tempo para outras coisas. Para brincar com os miúdos, arrumar a casa, estender uma máquina de roupa, ler uma revista, jardinar, ir tomar banho, ou para pessoas como eu que não têm problemas em sair de casa com o forno ligado,  para ir à missa e tomar café e chegar a casa com o almoço feito.
Vamos então a mais um assado.

Ingredientes para 4 pessoas:

1,5kg de entrecosto em peça inteira apenas com uns golpes
2 colheres de sopa de massa de pimentão
sal e pimenta q.b.
1 limão grande
2 folhas de louro
4 dentes de alho
coentros frescos para polvilhar

Preparação:

Coloque o entrecosto numa assadeira de louça e tempere-o com sal e pimenta. Regue com o sumo de limão, as folhas de louro partidas em pedaços e junte a mass de pimentão e os dentes de alho laminados. Envolva bem nesta mistura.
Leve depois o entrecosto ao forno, cerca de 2h30 a 160ºC até a carne estar macia e a separar-se do osso.
Sirva com umas rodelas de limão e coentros picados.


Bom Apetite!

Granola de Pecans, Amêndoa e Chocolate Negro


Estes fins de semana que ainda não são bem de primavera, porque a chuva tão necessária (apesar de já nos começar a fartar!) ainda persiste e o frio ainda não nos deixou completamente, continuam a ser a desculpa perfeita para passar algumas horas na cozinha, sozinha ou com a companhia dos miúdos a fazer bolos e bolachas e afins.
Este fim de semana houve tempo para bricolages - andei finalmente a pintar uma mesa de centro, mas ainda não acabei - mas também para muitas coisas novas pelo cozinha. Bolachas de batata doce, aveia e amêndoa, uns queques de limão e sementes de papoila, um entrecosto assado maravilhoso e ainda esta granola muito gulosa, com chocolate e nozes pecans.
Como a granola é uma óptima maneira de começar o dia - ou para um pequeno snack - também me parece uma fantástica maneira de começar a semana. Aqui fica!

Ingredientes para 1 frasco:

150g de flocos de aveia
50g de nozes pecan
30g de sementes de sésamo
30g de sementes de girassol
100g de amêndoas com pele
1 colher de sobremesa de canela em pó
2 colheres de sopa de açúcar mascavado (ou açúcar de coco)
2 colheres de sopa de óleo de coco
4 colheres de sopa de água
75g de chocolate 75% cacau picado grosseiramente

Preparação:

Numa taça colocar os flocos de aveia, as nozes pecans, as sementes de sésamo e de girassol, as amêndoas e a canela. À parte misturar a água, o óleo de coco e o açúcar.
Misturar bem as duas misturas e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal numa camada só e levar ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 20 minutos, mexendo de vez em quando para não queimar.
Ao fim desse tempo retire a granola e deixe arrefecer completamente. Misture depois o chocolate, envolva bem e guarde num frasco hermético.
Sirva com leite, iogurte, kefir, ou sobre taças smoothie de frutas.


Bom Apetite!

“Pizza” de Brócolos com Mozarella e Salame (Receita também em video)


Obviamente que isto não é uma pizza. Depois deste ponto muito importante esclarecido, vamos ao que interessa. Quantos de nós deitamos fora os talos dos brócolos ( e da couve flor) ou, quando muito os aproveitamos apenas para a sopa? 
Era basicamente o que acontecia aqui em casa. Os floretes dos brócolos e couve flor para cozinhar, os talos para a sopa, porque aqui nada se desperdiça. Nos últimos tempos, passei também a usar os talos, depois de bem picadinhos, para fazer aquela maravilhosa “invenção” da comida low carb, que é o arroz de couve flor ou de brócolos. Mas tinha de haver mais qualquer coisa... E foi então que num dia de aproveitamentos na cozinha, lá me deu para fazer uma espécie de base de pizza com os talos dos brócolos. Convenhamos que, para quem não gosta muito de brócolos, a ideia não parece muito apelativa, mas bem temperado, com queijo ralado à mistura e uns ovos (na base) o sabor fica bem disfarçado... E com o molho de tomate em cima, mais queijo e umas belas rodelas de salame, bacon ou presunto, os brócolos até se comem com mais entusiasmo!!
Basicamente uma receita para combater o desperdício!



Ingredientes para 1 “pizza”:

300g de talos de brócolos 8ou couve flor, ou uma mistura)
2 ovos
2 bolas de mozarella fresca
sal e pimenta q.b.

Molho de tomate q.b. (usei caseiro)
150g de queijo mozarella ralado
salame ou bacon a gosto

Preparação: 

No robot de cozinha triture os talos dos bróculos até ficarem finamente picados. Junte depois os ovos, o queijo ralado e tempere com sal e pimenta a gosto.
Forre depois uma base de pizzas com papel vegetal e espalhe a mistura uniformemente pela forma. Leve a cozinhar cerca de 20 minutos em forno previamente aquecido a 180ºC até a base estar douradinha.
Retire do forno e espalhe o molho de tomate, o queijo mozarella em fatias e por cima deste disponha as fatias de salame ou bacon.
Leve novamente ao forno, mais 10 minutos, apenas para o queijo derreter.
Sirva como se fosse uma pizza, em fatias.


Bom Apetite!

Bacalhau no Caçoilo com Batatinhas a Murro


Por vezes as receitas mais simples e com menos ingredientes são as que nos sabem melhor. Foi o caso deste bacalhau, com os acompanhantes habituais e que se preparou em poucos minutos. No entanto o jantar soube-me muito bem - a mim e acho que aos restantes cá de casa - de tal modo que não sobrou nada...
Uma das receitas do meu “meal prep” desta semana, e que mais uma vez me permite conseguir organizar os meus dias de uma forma muito mais calma, e que me poupa correrias desnecessárias na hora de jantar, normalmente sozinha com os três pequenos. Ganho descanso durante a semana com esta organização mas, acredito que nem todas as pessoas gostam ou de adaptam a isto. No final, cada um deve utilizar as técnicas que melhor resultam nas suas casas. Esta resulta muito bem connosco. E permite-nos ter sempre algo disponível para preparar um jantar equilibrado e saboroso para todos. Como este delicioso bacalhau!


Ingredientes para 2 adultos e 2 crianças:

3 lombos de bacalhau
1 cebola grande
2 dentes de alho
1 folha de louro
sal e pimenta q.b.
12 batatinhas novas pequenas
azeite q.b.

Preparação:

Descasque a cebola e corte-as em rodelas finas. Descasque os dentes de alho e lamine-os. No fundo de um caçoilo de barro (tacho de barro) coloque a cebola, os dentes de alho e a folha de louro. Por cima disponha os lombos de bacalhau, tempere com im pouco de pimenta moída na hora e regue generosamente com azeite. Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 30 minutos, regando o bacalhau de vez em quando com a mistura de cebola e azeite
Entretanto lave bem as batatinhas e leve-as a cozer em água temperada de sal até ficarem macias. Retire-as, escorra bem e de-lhes um pequeno murro, para que fiquem abertas. Coloque-as a rodear o bacalhau, envolva-as também no azeite e leve tudo ao forno mais uns 10 minutos.
Sirva com brócolos ou grelos cozidos.


Bom Apetite!

Arrufadas de Batata Doce


O fim de semana de chuva levou-nos para a cozinha. A mim e ao Zé Maria, o meu pequeno ajudante, que apesar de ser assim um bocadinho “nojentinho”, adora ajudar a medir e pesar ingredientes, colocar na taça, misturar e amassar... No fundo o que ele quer é comer um pedacinho de bolo ou de bolachas, e tem sempre alguma dificuldade em perceber que há coisas que têm de levedar... “Mamã, o que é levedar?” ou que têm de ir ao forno para cozinhar. (vinte segundos depois de estar no forno) “Mamã, já está pronto?”
Mesmo assim é um entusiasta e quer sempre ajudar - apesar da bagunça que fica, da farinha entornada, dos ovos partidos e de querer sempre, mas sempre, lamber a colher...
Este fim de semana que passou, ainda de rescaldo de Páscoa, com frio e lareira acessa, levou-nos a fazer umas deliciosas arrufadas de batata doce que vi no blogue da Naida Folgado, o “Frango do Campo”. Em vez de batata doce branca, usei a laranja, que era a que tinha em casa, e ficaram deliciosas... Vale mesmo, mas mesmo a pena experimentar. Fizemos para o lanche de sábado e não duraram até segunda feira....



Ingredientes para cerca de 10 unidades:

200 gramas de batata doce laranja
120ml de leite (usei bebida de amêndoa caseira, mas serve qualquer tipo de leite ou bebida vegetal)
40 gramas de manteiga amolecida
1 saqueta de levedura seca (7g)
1 ovo
1 colher de chá de sal
35gr  de açúcar mascavado
450 gr de farinha
1 ovo batido

Preparação:

Coza a batata doce a vapor e reduza a puré. Coloque-a numa taça e junte o leite, a manteiga, a levedura e misture bem. Adicione depois o ovo, o açúcar, o sal e a farinha e misture bem, primeiro com a colher de pau, e depois com as mãos.
Amasse bem, e se necessário junte um pouco mais de farinha para a massa não agarrar. Forme uma bola com a massa e coloque na taça, tapando, deixando levedar cerca de 1 hora ou até duplicar de tamanho.
Coloque depois a massa numa superfície enfarinhada e divida a massa em cerca de 10 a 12 porções do mesmo tamanho, formando bolas. (pode optar por fazer, por exemplo, uma trança)
Coloque-as lado a lado, num tabuleiro forrado com papel vegetal e pincele com o ovo batido.
Leve a cozinhar em forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 30 minutos.
Se quiser, depois de frios polvilhe com um pouco de açúcar em pó.
Sirva quentinhos com manteiga ou queijo.


Bom Apetite!

“Quiche” sem Massa de Frango, Bacon e Legumes na Frigideira


Mais do mesmo. Umas pernas de frango solitárias no congelador que não davam uma refeição para todos. Assam-se, desfiam-se e juntam-se mais algumas coisas para dar para todos.
A ideia começou por ser uma espécie de noodles de frango e legumes com caldo caseiro de frango. No momento de ir preparar o jantar a ideia já era fazer um pastelão, porque tinha c´muitos ovos, mas acabou numa quiche sem recheio porque não tinha massa, nem vontade de fazer nenhuma massa.
No fim, acho que não fez falta nenhuma e ficou uma bela “quiche”, algo que o meu marido acha sempre que é lanche ajantarado de domingo, e não jantar de um dia da semana. Mas que comeu com prazer porque estava realmente bom.
A ideia de fazer na frigideira é optima porque assim ainda se suja menos louça. Atenção apenas à frigideira que usam, que tem de dar para levar ao forno. (A minha é própria e até tem uma pega amovível para esse efeito! Caso não tenham, transfiram a mistura antes de ir para o forno para um pirex ou tarteira de louça).
Espero que gostem. E que vos inspire a não desperdiçar nada. É uma óptima forma de aproveitar sobras de carne e de legumes, como aliás todas as quiches!

Ingredientes para 4 pessoas:

2 alho franceses pequenos
250g de cogumelos
2 cenouras médias
250g de frango cozinhado e desfiado (sem peles nem ossos)
200g de bacon em tirinhas finas
azeite q.b.
150ml de natas (natas vegetais ou leite de coco)
6 ovos
sal, pimenta e noz moscada

Preparação:

Corte o alho francês em rodelas finas e lave-o depois muito bem para limpar todas as impurezas. Lave também os cogumelos e lamine-os. Descasque a cenoura e corte-a em cubinhos.
Leve uma frigideira ao lume com um pouco de azeite e junte o alho francês e deixe começar a cozinhar. Junte depois os cogumelos e a cenoura e deixe saltear até começarem a ficar murchos. Acrescente depois o frango, o bacon e as natas ou o leite de coco e envolva bem. Tempere de sal, pimneta e noz moscada. Desligue e deixe arrefecer.
À parte bata os ovos e envolva-os bem na mistura anterior.
Leve depois a frigideira ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 15 minutos. (Se a sua frigideira não for própria para ir ao forno, pode transferir para uma tarteira de vidro ou tabuleiro que vá ao forno e à mesa.
Sirva cortada em fatias e com uma salada verde.


Bom Apetite!

Cachaço de Porco Assado com Pimentão Fumado e Oregãos


As coisas simples são por vezes as melhores. É o caso desta carne assada, que repito vezes sem conta, variando o corte de carne, e uma das receitas de eleição para fazer para muita gente, em festas de aniversário ou jantares descontraídos com amigos, onde só são necessários uns pãezinhos, uma maionese caseira apimentada e uma salada...
Quando me perguntam qual os meus cortes favoritos de carne de porco para assar, digo qualquer coisa menos lombo... Por mais que seja possível fazer lombo de porco assado no forno suculento, acho sempre que fica mais seco do que gostaria e a faltar-lhe o sabor de um bom assado com um corte com alguma gordura e osso... Por isso, se há carne que nunca asso cá em casa é o lombo de porco. Desta vez um dos meus cortes favoritos para assar. O cachaço com osso. Basta no talho pedirem o mesmo pedaço que é usado para costeletas do cachaço, mas para levarem inteiro para assar, em vez de cortado em costeletas... Quando muito peçam uns golpes nos ossos, para ser depois mais simples de fatiar a carne....
Aqui em casa adoramos. Carne muito tenra, suculenta e cheia de sabor. E claro, o pimentão fumado - que também encontram à venda como “Pimenton de La Vera”, faz toda a diferença!!!! É umas das especiarias que não falta na minha gaveta e na minha cozinha.
Começamos assim a segunda feira, com uma receita vagarosa....

Ingredientes para 4 pessoas:

1,5kg de cachaço de porco com osso
2 colheres de sobremesa de pimentão fumado
sal marinho q.b.
2 colheres de sobremesa de oregãos secos

Preparação:

Coloque a peça de carne num tabuleiro que possa ir o forno e tempere com o sal e o pimentão fumado, esfregando sobre toda a carne. Por cima coloque os oregãos. Sem adicionar nenhum líquido - não é necessário  - tape bem o tabuleiro com papel de alumínio e leve a assar, em forno pré aquecido a 160ºC durante 2h30.
Ao fim desse tempo retire o papel de alumínio, aumente o forno para s 180ºC e deixe cozinhar mais 30 minutos.
Retire a carne e deixe repousar uns minutos antes de a cortar em fatias.
Acompanhe com uma bela salada variada e com batatas fritas ou assadas.


Bom Apetite!

Tarte Rápida de Amêndoa


E assim de repente a minha filha já fez 2 meses (como, se ela nasceu ontem!!!!), o primeiro trimestre do ano já passou, a Páscoa já lá vai, estamos em Abril, os Santos estão aqui estão a chegar e faltam 9 meses para o Natal!  
E por falar em Páscoa, como para muitas pessoas este fim de semana a Páscoa continua, com a Pascoela deixo-vos a receita de uma tarte de amêndoa, muito rápida e simples de preparar, e que fez parte da minha mesa de Páscoa. Foi muito elogiada e portanto não podia deixar de a partilhar por aqui.  A minha decoração foi realmente muito simples, mas idealmente decorem com fios de ovos, ou até uma cobertura de doce de ovos para os mais gulosos!
Bom fim de semana!!

Ingredientes:

250g de amêndoa com pele previamente moída (pode usar farinha de amêndoa ou amêndoa sem pele, mas prefiro com um pouco mais de textura na amêndoa)
250g de açúcar
raspa da casca de 1 limão
6 ovos
açúcar em pó, fios de ovos ou doce de ovos para decorar

Preparação:

Numa taça bata os ovos com o açúcar até estarem misturados - não é preciso bater muito! Junte depois a amêndoa triturada e a raspa da casca do limão e misture bem.
Forre uma forma redonda com cerca de 20cm de diâmetro com papel vegetal e unte-a com um pouco de manteiga. Coloque a mistura de amêndoa e ovos na forma e leve ao forno, previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 40 minutos, ou até a tarte estar cozinhada.
Retire do forno, deixe arrefecer 5 minutos e desenforme depois cuidadosamente para o prato de servir, retirando antes o papel vegetal. 
Depois de completamente fria, decore a gosto polvilhando com açúcar em pó (consegui este efeito polvilhando o açúcar em pó sobre um naperon rendilhado de papel para colocar bolos que coloque em cima da tarte), com fios de ovos ou doce de ovos.


Bom Apetite!

Pão Bio de Trigo e Espelta


Há muito tempo que faço pão em casa. Seja porque a maior parte do pão de supermercado e até da maioria das padarias está cheio de ingredientes estranhos ao pão - além das farinhas, fermento, água e sal - seja pelo simples mas enorme prazer de fazer determinadas coisa de raiz. E fazer pão torna-se um prazer.
As minhas aventuras com massa mãe ainda não foram bem sucedidas, essencialmente porque ainda não tive oportunidade de me dedicar a isso a 100%, mas não é por isso que falta pão caseiro aqui por casa.
A receita que me tornou padeira quase todas as semanas - sem ter voltado a pegar na minha máquina de pão que está quase à três anos, desde que mudamos de casa, ainda na caixa, foi a receita do “Pão da Titá”, que podem encontrar aqui no blogue, e já com algumas ligeiras adaptações no meu livro “Família e Amigos à Mesa”. Basicamente a receita consiste em 500g de farinhas, sal, 420ml de água (apesar de às vezes, consoante a farinha poder colocar mais água) e 7g de levedura seca. Misturar (misturar não é amassar, e portanto não precisamos da máquina de pão para nada), levedar entre 1 hora a 12 ou mais horas - quanto mais tempo levedar melhor - e depois cozer em forno quente num tacho de barro ou pirex tapado com tampa - e este ponto, da tampa, é muito importante pois permite que o pão fique com uma deliciosa crosta! (Ultimamente tenho usado uma ultrapro da Tupperware para cozinhar o pão - que também tem tampa e os resultados são os mesmo. E tenho preferido ao tacho de barro, porque o pão fica retangular e mais simples de cortar em fatias e congelar. Apenas por isso!) 
Ora nos últimos tempos tenho usado apenas farinhas biológicas para fazer pão. E umas das combinações que tem feito mais sucesso aqui por casa, tem sido este de trigo e espelta. Ontem, quando mostrei o pão no instagram, foram muitas as perguntas, e portanto achei que novamente um post sobre o pão da Titá e as adaptações que fui fazendo, tinham todo o sentido. E continua sem ser uma receita para usar a máquina de pão! 
Aqui fica!

Ingredientes para 1 pão:

375g de farinha de trigo biológica
125g de farinha de espelta biológica
flor de sal q.b.
7g de levedura seca (uso fermipan)
500ml de água tépida

Preparação:

Numa taça grande colocar as farinhas, a levedura e o sal e misturar com a colher de pão. Adicionar a água e misturar novamente com a colher até tudo estar envolvido. (Não é para amassar, é só mesmo para misturar. E a mistura fica meia líquida: é mesmo assim!)
Tapar com um pano ou película aderente e deixar levedar no mínimo 1 hora e no máxima até 24 horas. (Normalmente deixo a levedar umas 8 horas, mas este da foto não chegou a levedar 2 horas!)
Ligue depois o  forno a 220ºC e lá dentro coloque o tacho de barro, o pirex ou a ultrapro, sempre com tampa, para aquecer ao mesmo tempo que o forno aquece. Quando o forno estiver na temperatura desejada, retire cuidadosamente o recipiente do forno e polvilhe o fundo com um pouco de farinha. Verta a massa para dentro do recipiente que estiver a utilizar e polvilhe com um pouco mais de farinha. Tape com a tampa e coloque no forno deixado cozinhar cerca de 45 minutos, sempre tapado. Ao fim desse tempo pode retirar a tampa e deixar estar mais uns 5 minutos, se quiser uma crosta mais dourada. (Algumas pessoas referem que o pão agarra um pouco. Depende do utensílio que estão a utilizar. A mim nunca me aconteceu nem na ultrapro, nem no tacho de barro vidrado que utilizo. Se receia que isso possa acontecer, coloque papel vegetal antes de colocar a massa do pão)
Retire depois do forno, desenforme e deixe arrefecer sobre uma grelha. Evite cortar ainda quente. (apesar de para amantes de pão ser quase impossível resistir a pão acabado de fazer!)


Bom Apetite!

Tabuleiro de Chips de Batata Doce Crocante com Alecrim e Limão (receita também em video)


São sempre muitas as mensagens que recebo para publicar sugestões diferentes para acompanhamentos. Confesso que também não gosto de reduzir os acompanhamentos cá de casa a 5 ou 6 coisas sempre iguais. E portanto vario cada vez mais, e também cada vez introduzo mais legumes, para que as nossas refeições sejam o mais coloridas e variadas possíveis. E é um bocado assim que os “couscous” ou “arroz” de couve flor, ou brócolos vão entrando de mansinho nas nossas rotinas, além das adoradas batatas dos meus filhos (eles gostam muito mais de batatas do que arroz ou massa...) Por isso, é preciso inventar, procurar e experimentar diferentes maneiras de cozinhar as coisas...
Estas batatas - a receita resulta com batata normal ou batata doce, é igual - além de ficarem muito saborosas com o toque do limão e do alecrim, ficam também muito bonitas. Com a ajuda de uma mandolina fazem-se num instante e são, por isso mesmo, perfeitas para fazer quando se tem um jantar de amigos ou um almoço de família. Fazem sucesso.
Deixo-vos a sugestão. E também o vídeo da receita!



Ingredientes para 2 adultos e 2 crianças:

2 batatas doce grandes
azeite q.b.
2 dentes de alho
alecrim fresco q.b.
1 limão
sal q.b.

Preparação:

Descasque as batatas e corte-as com a ajuda de uma mandolina em chips bem fininhas. (usei a minha mandolina da Borner que adoro!) Seque bem as batatas  e coloque-as ao alto, formando carreirinhas, num tabuleiro que vá ao forno e à mesa.
Numa tacinha misture um pouco de azeite - cerca de 3 a 4 colheres de sopa - com os dentes de alho ralados, o alecrim fresco picado,  a raspa e o sumo de  1 limão, e um pouco de sal. Misture bem e verta sobre as batatas.
Leve depois ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 1 hora, ou até as batatas estarem crocantes e douradas. (Se estiverem a queimar coloque um pouco de papel de alumínio por cima!).
Deliciosas para acompanhar carnes assadas ou grelhadas.


Bom Apetite!

“Nuggets” de Frango



Não tenho por hábito levar os meus filhos a comer em cadeias de fast food. Nós também raramente comemos, e quando comemos fast food, optamos por alternativas com comida o menos processado possível, que é cada vez mais fácil de encontrar. Mas isso não quer dizer que ca em casa não se comam hamburgueres, pizzas e até nuggets de frango. A diferença está nos ingredientes usados. Estes são mesmo 100% peito de frango e fazem-se num instante - e, se tiverem crianças habilidosas até podem contar com elas para ajudar a fazer os nuggets!.
Portanto, se eles são adeptos de nuggets de cadeias de fast food, experimentem fazer esta versão e vejam lá se não os convencem!
Por aqui comemos nós e comeram eles!

Ingredientes para cerca de 20 nuggets:

500g de peito de frango
3 dentes de alho
1 ovo batido
sal e pimenta q.b.
pão ralado ou farinha de mandioca
azeite ou óleo vegetal para fritar

Preparação:

Corte o peito de frango em pedaços, e descasque os dentes de alho. Coloque tudo no robot de cozinha e triture até ficar com uma espécie de uma pasta de frango. A carne tem mesmo de ficar em “pasta”. Tempere com sal e pimenta e misture bem.
Com as mãos molhadas molde pequenos nuggets em forma de quadrados, mais ou menos do mesmo tamanho e espessura.
Passe cada nugget por ovo batido e depois pelo pão ralado.
Leve uma frigideira anti aderente ao lume com um pouco de óleo (pode optar por uma fritura de imersão normal, mas também resulta fritar apenas com um pouco de óleo na frigideira...) e frite de ambos os lados até ficarem dourados e cozinhados por dentro.
Acompanhe com uma salada e batatas fritas ou arroz branco e uma maionese caseira!


Bom Apetite!

Almôndegas de Peixe, Caril e Coco


Tinha no congelador uma caixinha com sobras de peixe vários. Já limpos de peles e espinhas e desfiados. Havia sobras de pescada, de filetes de cavala e de peixe assado... Tudo misturado e à espera de ser utilizado numa qualquer preparação. A ideia inicial passava por recheio de rissois ou de crepes, mas acabaram numas almôndegas de peixe mais exóticas, mas que ficaram muito boas. E eu, que pensava que seria daquelas coisas que os miúdos não comeriam - também não comem tudo... - enganei-me redondamente, porque gostaram bastante!
Começamos então abril com uma receita de aproveitamentos!!

Ingredientes para cerca de 20 almôndegas

300g de sobras de peixe - desfiado sem peles ou espinhas (também podem fazer usando atum de lata, por exemplo)
1 couve flor pequenina (200g)
1 batata doce média (200g) - podem só usar batata
sal e pimenta q.b.
3 colheres de sopa de coco ralado + para panar as bolinhas
1 cebola
1 colher de sopa de caril em pó
1 colher de chá de curcuma (açafrão das índias)
1 ovo
azeite q.b.

Preparação:



Descasque a batata e corte-a me pedaços pequenos. Corte também a couve flor e coza-as a vapor ou em água e sal até ficarem macias. Retire e reserve.
Pique a cebola e leve-a a alourar num pouco de azeite. Assim que começar a ficar translúcida junte o caril em pó e a curcuma e misture bem na cebola deixando refogar mais um pouco em lume brando. Junte depois o peixe e envolva bem. Acrescente a batata e a couve flor cozinhadas e previamente esmagadas ou trituradas e envolva bem. Junte depois o ovo batido e o coco ralado, e mexa bem, de modo a ter a consistência para moldar bolinhas. Se achar a mistura muito mole, junte um pouco mais de coco ralado (ou farinha de coco), uma vez que se cozer as batatas em água pode ter mais líquido do que cozidas ao vapor. Retifique de sal e pimenta.
Molde depois as almôndegas - não muito pequenas - e passe-as por mais coco ralado para fritar.
Leve uma frigideira anti aderente ao lume com duas colheres de sopa de azeite (ou óleo de coco) e deixe aquecer. Salteie depois as almôndegas até que fiquem douradas.
Sirva depois com brócolos cozidos e maionese caseira (eu fiz a minha picante, juntando-lhe um pouco de molho piri-piri caseiro).


Bom Apetite!

Imprimir