Pataniscas de Carne


Cá em casa, já sabe, nada se estraga e muito menos se deita fora. Umas sobras de lombinho de porco assado acabaram numas belas pataniscas e assim se limpou o frigorífico.
Confesso que as pataniscas acabam por ser uma receita de recurso que uso imenso cá em casa para limpar restinhos: de peixe, de legumes, de carne, e até de carnes frias como presuntos e enchidos. Com muito pouco consegue-se fazer uma refeição onde o mais importante é mesmo não desperdiçar nada.
Fica mais uma singela sugestão. Pode ser que vos dê jeito numa próxima vez que não saibam o que fazer aquele “nico” de comida que está na caixinha no frigorífico!

Ingredientes para cerca de 8 pataniscas:

1 ovo
4 colheres e sopa de farinha  (de trigo ou outra farinha a gosto)
1 pé de salsa
60ml da água gaseificada
1/2 chávena de restos de lombinho de porco assado
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

Preparação:

Pique finamente as sobras de carne de porco. Pique também a salsa.
Numa taça coloque a farinha e o ovo e misture bem até ficar com uma mistura lisa. Tempere com sal e pimenta a gosto e vá acrescentando a água gaseificada até obter uma mistura homogénea,Acrescente depois a carne picada e a salsa e envolva bem.
Leve um frigideira ao lume com um pouco de azeite, deixe aquecer bem e frite colheradas de massa até ficarem douradias. Escorra sobre papel absorvente.
Sirva as pataniscas com uma salada variada.


Bom Apetite!

Compotas de Verão


Para quem como eu gosta de fazer compotas, e ainda mais, gosta de as preparar para oferecer no natal, esta costuma ser a altura do ano ideal para isso. Há muita variedade de fruta, e as opções são mais que muitas.
Este ano, o meu amigo Nuno diz que é um ano de muita e boa  fruta (a julgar pelo meu pessegueiro, tem razão!), e portanto mais uma razão para colocar as mãos à obra e preparar umas compotas. Seja apenas para ter me casa, seja para compor os cabazes de natal (parece que ainda falta muito para o natal, mas não se deixem enganar, que vem aí num instante!), esta é a época ideal para começarem a preparar compotas com todas as combinações e variedades de fruta que conseguirem arranjar.
Para vos inspirar, deixo-vos algumas sugestões, não só das minhas preferidas, mas também daquelas que têm mais comentários positivos de quem as recebe.












Bolo de Milho do Chef Kiko


Não sei se isto também vos acontece, mas comigo é quase sempre assim. De cada vez que vejo uma receita que me interessa - seja num livro ou numa revista, ou até mesmo apenas uma sugestão que apanhei de um restaurante ou até de uma conversa entre pessoas que gostam de comer e cozinhar -  anoto num pequeno caderno. Quando estou a pensar nas ementas semanais, num jantar para amigos, ou simplesmente no bolo que quero fazer para a semana, vou procurar nas minhas notas que ideias anda por lá e ainda não foram testadas. Foi assim, entre inúmeras notas e apontamentos, que fui dar com a recomendação para mim mesma de fazer o bolo de milho do livro jantaradas do Kiko Martins. 
E assim, lá saiu o bolo de milho, que é um bolo muito simples, pouco doce até, perfeito para ser comido com um pouco de queijo e compota caseira, e ideal para aquelas mesas de partilha e petiscos que eu tanto gosto.
Deixo-vos a sugestão para este fim de semana.

Ingredientes:
(in “Jantaradas” Chef Kiko Martins, página 50)

180ml de leite
150g de açúcar
45g de manteiga
185g de farinha de milho
3 ovos
30g de farinha de trigo
1 colher de café de fermento

Preparação:

Junte o leite, a manteiga e o açúcar num tacho e leve ao lume até tudo estar dissolvido. Junte depois a farinha de milho e misture bem, e deixe cozinhar durante cerca de 3 minutos em lume médio, mexendo de vez em quando para não agarrar.
Retire do lume e deixe arrefecer um pouco. Misture depois os ovos e por último a farinha de trigo e o fermento, envolvendo bem.
Coloque depois numa forma de bolo inglês previamnete untada e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 30 minutos.
Acompanhe com um bom queijo e um pouco de compota caseira ou marmelada ou goiabada.


Bom Apetite!

Taça de Iogurte, Fruta e Frutos Secos


De começar o dia de forma simples. O resto da banana que o António não quis comer no jantar do dia anterior. Uns quantos morangos apanhados no jardim. Mirtilos deliciosos que há em quantidade do congelador e um restinho da meloa do cabaz da Dona Rosa. Sementes, frutos secos e iogurte para complementar. Um pequeno almoço para limpar “restos”, que eu penso ser só para mim, mas que partilho com duas bocas pequeninas que, à vez, me vão pedindo para comer. Uma colher para mim, outra para o Zé Maria e outra para o António. Sempre a mesma ordem e a mesma cadência... E assim o meu pequeno almoço, passa a ser o nosso pequeno almoço, que acaba num instante e é preciso ir buscar mais qualquer coisa que eu já sei ser para dividir com estes pequenitos, qual mãe a alimentar os seus passarinhos.... 
Ingredientes para 1 taça:

1/2 banana
4 morangos
4 colheres de sopa de iogurte grego natural
1 colher de chá de sementes de abóbora
2 colheres de sopa de frutos secos a gosto
1 fatia pequena de meloa
1 mão cheia de mirtilos

Preparação:

No copo da varinha mágica coloque os morangos partidos em pedaços, a banana em rodelas e o iogurte e triture até obter uma mistura homogéna. Coloque numa taça.
Por cima disponha os mirtilos, a meloa em cubinhos pequenos, as sementes de abóbora e os frutos secos grosseiramente triturados.
Sirva de imediato, com umas folhas de hortelã ou manjericão e, se gostar acrescente um pouco de mel.


Bom Apetite!

Pão de Alfarroba com Nozes


Continuo a adorar fazer pão em casa. Ainda não acertei com a experiência com a massa mãe (e esse projeto está neste momento em stand-by, mas espero voltar a ele em Setembro), mas continuo a adaptar com a receita de pão da Titá, já aqui publicada, e que também está no livro “Família e Amigos à mesa).
Este pão de alfarroba e nozes, de sabor forte e para apreciadores de alfarroba, é uma variação a partir da receita mais simples de pão que conheço. Basta um forno doméstico e um tacho de barro, para um pão muito melhor do que o pão da maioria das padarias. Vou variando as farinhas, sem alterar muito o rácio, Farinha de trigo + centeio, ou aveia, com ou sem sementes, com trigo ssaraceno, com farinha de espelta, trigo integral... e desta vez com alfarroba e nozes, num pão maravilhoso, quase preto e só mesmo para apreciadores de alfarroba. Mas não tenham receio de experimentar - para um sabor mais suave diminuam a quantidade de farinha de alfarroba, e coloquem mais farinha de trigo a compensar a quantidade. Se experimentarem contem-me tudo!
E por aqui não há nada melhor do que o cheiro do pão acabado de fazer.

Ingredientes:

420g de farinha de trigo normal
80g de farinha de alfarroba biológica
50g de nozes partidas em pedaços
600ml de água tépida
1 colher de chá de sal fino
1/2 saqueta de levedura seca tipo fermipan (cerca de 5g)

Preparação:

Numa taça coloque as farinhas e as nozes e misture. Abra uma cova ao centro e acrescente o sal, a levedura seca e a água. Misture tudo com uma colher de pau. (Atenção que a massa fica mole e húmida, mas é mesmo assim). Tape com um pano limpo e deixe levedar pelo menos uma hora , mas aconselho a pelo menos 12 horas - de um dia para o outro. 
Ao fim desse tempo ligue o forno a 200ºC e coloque lá dentro também a aquecer um tacho de barro vidrado ou pirex com tampa.
Cuidadosamente retire então o tacho quente do forno e coloque no fundo um pouco de farinha (se tiver receio de a massa colar ao fundo, pode usar papel vegetal). Verta para dentro do tacho a massa e tape o tacho com a tampa voltando-o a colocar no forno quente. Deixe cozinhar cerca de 30/35 minutos. (O facto de cozinhar num tacho previamente aquecido e tapado, vai criar a humidade necessária para formar uma crosta, não sendo necessário borrifar o forno com água para criar essa humidade extra!)
Ao fim desse tempo retire a tampa e deixe cozinhar mais uns minutos para ganhar uma crosta mais firme.
Retire o tacho do forno, desenforme o pão e deixe arrefecer completamnete sobre uma grelha antes de cortar em fatias.


Bom Apetite!

Néctar de Pêssego e Hortelã



Uma das coisas que raramente compro são sumos. No dia a dia há sempre água na mesa e os sumos (quase sempre naturais) são para dias especiais. Tal como li há uns tempos numa entrevista - e algo que também sempre defendi - é que devemos educar pelo exemplo. Se eu não como sopa, ou legumes, ou fruta, ou peixe, ou salada, como é que quero que os meus filhos comam? Claro que isto não é uma regra, e não quer dizer que eles vão gostar e comer de tudo, mas é um principio. Cá em casa foi um bocadinho assim com os sumos e refrigerantes. Eu até consumia, e deixei de o fazer para dar o exemplo. Não me faz falta nenhuma a mim e muito menos a eles.
E vamos fazendo os sumos que eles gostam - de laranja natural, de meloa, de ananás, de morango e romã, de pêra.... e agora, com tantos pêssegos cá em casa, um nectar de pêssego. Só é preciso não fazer para muito tempo - 1 ou 2 dias e guardar numa garrafa hermética. Por aqui, opto sempre por fazer pouca quantidade de cada vez porque o mais pequeno não liga e o Zé gosta, mas  também bebe pouco.
Hoje a sugestão é então um maravilhoso néctar de pêssego.

Ingredientes para 500ml de nectar:

5 pêssegos maduros e não muito grandes
sumo de limão q.b.
1 pé de hortelã (opcional)
água q.b.

Preparação:

Descasque os pêssegos e parta-os em pedaços pequenos. Junte a hortelã e, no robot e cozinha, copo liquidificador ou com a varinha mágica triture tudo muito bem até os pêssegos estarem em polpa. Adicione umas gotas de sumo de limão e água a gosto, tendo em atenção que queremos com o nectar um sumo mais espesso (juntei cerca de 300ml de água). Volte a triturar para misturar bem.
Coloque depois numa garrafa hermética bem fechada e leve ao frigorífico até servir. Aguenta até 3 dias no frigorífico.

Nota: cá em casa não adicionamos açúcar, mas se preferirem poderão fazê-lo, juntando a quantidade que acharem bem até ficar a vosso gosto.


Bom Apetite!

Bacalhau com Batata Doce à “Zé do Pipo” -


Nós já estamos de férias, mas as receitas por aqui continuam, com a mesma regularidade de sempre.
Hoje uma receita de bacalhau, do tipo “Zé do Pipo”, mas preparado com batata doce em puré, que os miúdos adoram, E eu confesso que a combinação de bacalhau e batata doce é uma das minha preferidas e já experimentei a sua substituição em quase todos os pratos mais tradicionais de bacalhau. Desta vez, e porque tinha em casa todos estes elementos, lembrei-me de preparar esta adaptação do bacalhau à Zé do Pipo. Os miúdos gostaram e comeram muito bem. E n´so também.
E apesar de não ser uma receita de verão, nestas noites que não parecem de verão - e que mal nos deixam usar a nossa zona de refeições no jardim - foi um jantar muito reconfortante e agradável.
Espero que também gostem.

Ingredientes para 4 pessoas:

400g de bacalhau demolhado
sal e pimenta q.b.
500gr de batata doce
2 colheres de sopa de leite de coco ou natas
noz moscada
1 cebola grande
azeite q.b.
1 folha de louro
2 dentes de alho
maionese q.b.
azeitonas e salsa para decorar

Preparação:

Num tacho coza as batatas em água temperada com sal, e noutro tacho cozinhe durante alguns minutos o o bacalhau em água a ferver.
Entretanto corte a cebola em rodelas ou meias luas finas e leve-as  a cozinhar numa frigideira com o azeite, os dentes de alho laminado e a folha de louro até a cebola estar dourada e cozinhada. Tempere com um pouco de sal e pimenta.
Desfie o bacalhau em lascas, mas sem ficar muito desfeito. Reserve.
Depois de as batatas estarem cozinhadas, reduza-as a puré, e tempere de sal, pimenta e noz moscada e junte as natas ou o leite de coco misturando bem.
Unte com um pouco de azeite um tabuleiro que possa ir ao forno. Ao centro coloque o bacalhau e rodeie-o com o puré. Por cima do bacalhau disponha a cebolada e por cima desta uma camada generosa de maionese.
Leve ao forno previamente aquecido a gratinar durante alguns minutos, até a maionese estar dourada.
Antes de servir decore com as azetonas e a salsa picada e Sirva com uma salada.


Bom Apetite!

Compota Caseira de Pêssego


O nosso pessegueiro no jardim tem dado imensos pêssegos este ano. O pessegueiro tem estado tão carregado, que os ramos chegam quase ao chão, tanto é o peso. E os pêssegos são doces e sumarentos, mesmo muito saborosos. Claro que os temos comido e oferecido, mas mesmo assim são demasiados. Quase a ir de férias tinha de lhes dar outro rumo. Escolhi os mais maduros, colocando os restantes na gaveta do frigorífico, e fiz compota. Compota a pensar no Natal. Para colocar nos frascos de vidro que guardo religiosamente desde do início do ano, e que alguns amigos também me vão trazendo.
Compota dos meus pêssegos do jardim que, modéstia à parte ficou deliciosa, e que será para colocar nos cabazes de Natal deste ano. E não, não me chamem maluca e que ainda falta muito para o natal. Porque estas coisas começam a preparar-se com tempo. Guardar frascos desde o início do ano, aproveitar a fruta da época e ir fazendo as compotas ao sabor e vontade do que vamos tendo. (E se têm dúvidas com todos estes timmings, aconselho a consultarem o calendário de preparação de cabazes de natal que coloquei no livro “Presentes com um sabor Especial”)
E aqui fica a receita, sendo que pêssegos deliciosos é o principal ingrediente, para além do carinho com que se fazem estes mimos para oferecer.
E agora, chega finalmente a altura de seguir de férias em família, apanhar sol, areia e banhos de mar. E de ir ao mercado, e de ler, e de brincar com os mais pequenos. As receitas, como sempre continuam com muitas sugestões e ideias para estes dias!

Ingredientes para 4 frascos de cerca de 225ml cada:

1kg de pêssegos (peso dos pêssegos já descascados e sem caroço)
700g de açúcar
opcional (casca de limão ou 1 colher de chá de pasta de baunilha)

Preparação:

Num tacho coloque os pêssegos partidos em pequenos pedaços e acrescente o açúcar e, se usar a casca de limão ou a baunilha. (Atenção que ao fazer compotas nunca deve usar um tacho muito pequeno, pois a compota necessita de “espaço” para ferver sem correr risco de entornar)
Mexa bem todos os ingredientes, de modo a começar a dissolver o açúcar na polpa da fruta e leve ao lume. Assim que levantar fervura, reduza o lume para o mínimo e deixe cozinhar lentamente (cerca de 1h, 1h30) até o doce estar no ponto. Isto significa que, colocando um pouco da doce num pires e passando com a ponta de uma colher ou do dedo, esta abre uma “estrada” que não se une de imediato. (Atenção para não deixar a compota passar do ponto e ficar rija e caramelizar.)
Coloque depois a compota ainda quente, em frascos de vidro previamente esterilizados (e de preferência também quentes) e tape de imediato. Vire-os depois de cabeça para baixo e deixe ficar assim cerca de 30 minutos para que criem um vácuo natural.
Etiquete a gosto e guarde-os depois num local fresco e seco até utilizar.


Bom Apetite!

Caril de Courgete e Pimento com Ovo Escalfado


No exercício de gastar o que havia cá há em casa antes de ir de férias, acabei a fazer um caril de legumes - para acabar o que havia na gaveta do frigorífico - e uma lata de leite de coco já aberta. Para complementar, juntei uns ovos a escalfar e, com um pouco de arroz ficou uma boa refeição, simples mas completa, e que também tem repertório nas nossas refeições sem carne e sem peixe, que continuamos a fazer com regularidade por aqui. (Nota, podem adaptar com quaisquer legumes que tenham em casa e para gastar!)
Aos poucos o frigorífico está quase vazio, assim como a arca congeladora, e nós cada vez com mais vontade de sairmos daqui com os miúdos e de irmos finalmente de férias!

Ingredientes para 2 pessoas:

1 courgete pequena (usei uma courgete redonda amarela)
1 pimento pequeno verde
1 pimento pequeno vermelho
1 cebola
2 dentes de alho
1 colher de sobremesa cheia de pó de caril
1/2 colher de sobremesa de Garam Masala
200ml de leite de coco (de lata)
2 ovos
manjericão fresco para polvilhar (podiam ser coentros)
azeite q.b.
sal e pimenta q.b.
picante (opcional)

Preparação:

Comece por picar a cebola juntamente com os dentes de alho.  Leve depois um tacho ao lume com um pouco de azeite, acrescente a cebola e o alho picado e as especiarias e deixe fritar. em lume muito brando.
Entretanto corte os legumes e cubos não muito pequenos. Quando a cebola estiver translúcida e a mistura começar a querer agarrar ao tacho, junte os legumes e envolva bem. Junte depois o leite de coco, retifique de sal, pimenta e, se usar, picante a gosto, e deixe estufar em lume muito brando até os legumes estarem quase cozinhados e macios.
Acrescente depois os ovos, partindo-os para dentro do tacho, e deixe-os cozinhar até que estejam a seu gosto.
Sirva polvilhado com um pouco de manjericão fresco, e acompanhe com arroz branco.


Bom Apetite!

Tostadas com Puré de Abacate, Presunto, Tomate e Ovo


Já sabem que adoro o pequeno almoço. Adoro poder ter tempo para esta refeição, para cozinhar um pequeno almoço diferente e principalmente para o poder saborear devagar..
Para a maioria este é apenas um prazer reservado às férias. Por isso, hoje trago uma sugestão do que pode ser um pequeno almoço composto para um dia de férias, para saborear devagar e complementar com café, sumo natural e fruta a gosto.
Além de pequeno almoço serve também como um almoço mais leve, ideal para depois da praia, da piscina ou de um passeio no campo.

Ingredientes para 1 pessoa:

1 fatia de pão da vossa preferência (de sementes, alentejano, p\ao da avó.....)
1/ 2 abacate pequeno
1 fatia fina de presunto
1/2 ovo cozido
2 tomates cereja
azeite q.b.
flor de sal
sumo de limão

Preparação:

Torre - na torradeira ou no fogão - o pão. Com o pão ainda quente, regue com um fio de azeite e polvilhe com um pouco de flor de sal.
Entretanto esmague o abacate com sal e umas gotas de limão até obter um puré e barre o pão com esta mistura. Por cima disponha o ovo cozido em rodelas ou quartos, o tomate cereja cortado ao meio e o presunto esfarrapado.
Sirva de imediato.


Bom Apetite!

Batatinhas Novas Assadas e Temperadas




Chegou Agosto. O mês das férias por natureza. E o mês das festas populares, dos churrascos e das refeições das férias ao ar livre.
E são também precisas ideias novas, e receitas diferentes para acompanhamentos. Poucos teremos vontade de fritar batatas para muitas pessoas, e as batatas de pacote não podem sempre ser uma opção. E às vezes já estamos fartos do arroz de feijão, ou do arroz branco com o feijão preto... E umas batatinhas assadas para variar? Cá em casa adoramos e já fazem parte dos favoritos! Preparadas de uma maneira ou de outra, são também um excelente petiscos para aqueles nossos jantares de tapas e petiscos, principalmente quando acompanhados por umas maioneses caseiras de sabores diferentes.
Espero que gostem!

Ingredientes para 4 pessoas:

800g de batatas médias novas
1 colher de chá de alho em pó
1 colher de chá de colorau em pó
1 pitada de piri-piri moído
1 folha de louro
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.
1 molhinho de coentros frescos

Preparação:

Lave bem as batatas, escovando-as se necessário, e corte-as em quartos. Coloque depois as batatas numa assadeira e tempere-as com sal, pimenta, o alho em pó, o colorau, o louro partido em pedaços, o piri-piri a gosto e um pouco de azeite. Envolva bem as batatas nestes temperos e leve-as ao forno previamente aquecido a 180ºC com ventilação. (A ventilação faz aqui toda a diferença pois torna as batatas mais crocantes por fora e macias por dentro).
Antes de servir polvilhe com coentros frescos picados.
Se gostar acompanhe com abacate esmagado com uma pitada de sal e de sumo de limão. São um excelente petiscos numa mesa de tapas, ou mesmo como acompanhamento de carnes grelhadas.


Bom Apetite!

Legumes Salteados com Caril com Lombinho de Porco Assado


A cabeça vai pensando nas férias, sabendo que estão quase a chegar. Por aqui o dia começa com chuva e o tempo nem parece de verão. Os pêssegos estão numa cesta, na bancada da cozinha, à espera de serem transformados em compota.
E é o último dia da escola do meu rapazinho mais crescido, e a partir de amanhã, e antes de irmos de férias, temos muitas brincadeiras e coisas para fazermos.
Mas continua a ser necessário cozinhar, e as coisas simples têm mesmo feito parte das nossas preferência pelos mais variados motivos.
O lombinho temperado e guardado no frigorífico, pronto a colocar no forno. E os legumes temperados, para saltear, ganham vida apenas com um toque de caril.
Simples e bom.

Ingredientes para 2 pessoas (com sobras):

1 courgete não muito grande
1 pimento vermelho
1 cebola 
2 dentes de alho
20 tomates cereja
1 colher de chá de pó de caril
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

1 lombinho de porco pequeno
1 colher de sobremesa de massa de pimentão
2 dentes de alho
50ml de vinho branco
sal e pimenta q.b.
1 folha de louro

Preparação:

Comece por preparar o lombinho de porco. Coloque-o num pirex ou assadeira e tempere com sal, pimenta, os dentes de alho picados, a massa de pimentão, o louro partido e regue com o vinho branco. Leve depois ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 45 minutos a 1 hora. Para não secar cubra com papel de alumínio durante a assadura.
Para os legumes, corte a courgete em cubos, a cebola em meias luas não muito grossas, o pimento também em cubos e o tomate cereja ao meio. Pique os dentes de alho.
Leve uma frigideira ao lume com um pouco de azeite e acrescente os legumes, o alho picado e o pó de caril. Tempere com sal e pimenta a gosto e deixe saltear, mexendo de vez em quando até que os legumes fiquem macios e cozinhados.
Sirva o lombinho em fatias com os legumes salteados e, se gostar acompanhe ainda com uma salada.


Bom Apetite!

Bolo de Iogurte, Laranja e Mirtilos


Sexta-feira. Véspera de fim de semana. É dia de bolo. Com os mirtilos que está mesma a acabar a época deles e com uma laranja já meia murcha que estava na fruteira. E tudo com uma base simples de bolo de iogurte, daqueles que misturam tudo e saem sempre bem.
Um bolo para receber amigos, para o café, para complementar a mesa do lanche ou pequeno almoço, um bolo para ir roubando aos bocadinhos, fatia fininha atrás de fatia fininha, enquanto se respira, se agradece, e voltamos a ter o espírito um pouco mais leve... Porque o caminho faz-se caminhado, apanhando ou desviando-nos das pedras, com a certeza de que chegaremos ao fim, ainda que cheios de marcas, mas profundamente mais fortes!

Bom fim de semana!

Ingredientes:

1 copo (125g) de iogurte natural
4 ovos
3 x copo de iogurte de farinha
2 x copo de iogurte de açúcar
1 x copo de iogurte de óleo de girassol
1 colher de chá de fermento em pó
150g de mirtilos
1 laranja

Preparação:

No liquifificador ou no robot de cozinha coloque a farinha, o açúcar, os ovos, o óleo vegetal, o iogurte, o fermento e a raspa e sumo de 1 laranja. Triture tudo até obter uma massa homogénea. Envolva depois, com a ajuda de uma espátula ou colher de pau os mirtilos.
Coloque depois a mistura do bolo numa forma de buraco, previamente untada e polvilhada, e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 40 minutos ou até o bolo estar cozinhado. Retire e deixe arrefecer um pouco antes de desenformar e cortar em fatias.


Bom Apetite!

Arroz de Curcuma com Pato Assado


Das últimas vezes que fui ao supermercado lá estavam umas pernas de pato, naqueles pacotes leve 2 pague 1, por aproximação de fim de prazo de validade. De imediato peguei numa embalagem e de imediato lembrei-me de fazer um arroz de pato assado, mais rápido que o habitual e perfeito para um jantar de semana.
E assim fiz. Mal cheguei a casa, cozi as pernas de pato e guardei-as depois de cozidas - juntamente com o caldo de cozedura - numa caixa no frigorífico, e fiz o arroz um ou dois dias depois, num jantar que acabou depois por não demorar mais de 40 minutos a fazer.
Apesar de não ser bem comida de Verão, como aqui em Coimbra os dias têm estado bastante cinzentos e o calor não é tanto como habitualmente nesta altura do ano, a refeição foi muito bem recebida.

Ingredientes para 2 pessoas:

1 chávena (225ml) de arroz (de preferência vaporizado, que aguenta melhor a consistência para ir ao forno sem ficar espapaçado)
2 pernas de pato
1 colher de chá bem cheia de curcuma (açafrão das índias)
2 cebolas pequenas
1 cenoura pequena
2 dentes de alho
1 raminho de coentros
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

Preparação:

Leve as pernas de pato a cozer num tacho com água temperada de sal e aromatizada com 1 cebola, a cenoura descascada e um pouco de pimenta. Deixe cozinhar até o pato estar macio. Retire e reserve, cortando as pernas de pato ao meio (ou seja separando a perna da coxa) e reservando o líquido previamente coado.
Pique depois a outra cebola com os dentes de alho e leve ao lume com um pouco de azeite, deixando fritar. Junte depois a curmuma e o arroz e envolva bem, deixando depois fritar uns minutos. Acrescente depois o dobro da quantidade do arroz (2 chávenas) do caldo de cozedura do pato, um pouco de coentros picados, envolva bem, tape e deixe cozinhar em lume brando, até a água do arroz estar quase toda absorvida. Ainda antes de o arroz estar totalmente cozinhado, retire-o do tacho e coloque-o numa assadeira. Por cima disponha as pernas de pato cortadas e com a pele virada para cima, e leve de imediato ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 15 minutos, até o arroz acabar de cozer e a pele do pato estar tostadinha.
Antes de servir polvilhe com os restantes coentros picados.
Acompanhe com legumes ou uma salada.


Bom Apetite!

Tarte de Espinafres e Tomate Seco


Na semana passada, enquanto fazia “zapping” pelos canais de televisão, passei pelo 24Kitchen e apanhei o programa da Filipa Gomes, o Prato do Dia,  em que ela fazia umas tarteletes (sem glúten) de tomate seco e espinafres.
A receita não podia ter vindo em melhor altura, pois tinha espinafres a necessitarem de ser gastos, tomates secos e andava com vontade de experimentar uma massa sem glúten, de pois de pedidos de várias leitoras a saberem se tinha alguma receita.
Como não tinha em casa os mesmo ingredientes que a Filipa usou na sua receita, experimentei com outras farinhas que tinha em casa e resultou muito bem, mas não se acanhem de fazer esta receita com uma receita tradicional de massa quebrada - como esta, por exemplo - ou até de usar massa quebrada de compra. Não se esqueçam mesmo é de pré-cozinhar a massa antes de colocar o recheio.
O resultado final foi muito agradável e resultou numa versão vegetariana muito saborosa!

Ingredientes:

Massa:
100g de farinha de trigo Sarraceno
50g de farinha de mandioca
50g de sementes de girassol
60g de azeite
1 ovo pequeno
sal q.b.

Recheio:
200g de espinafres frescos
8 tomates secos
1 cebola pequena
azeite q.b.
sal e pimenta q.b.
1 ovo
100ml de natas
50g de queijo gouda ou emental ralado (ou outro a vosso gosto)

Preparação:

Comece por preparar a massa. Coloque a farinha de trigo sarreceno, a farinha de mandioca, as sementes de girassol e o sal no robot de cozinha e triture tudo até ficar com uma farinha fina. Junte depois o ovo e o azeite e triture até obter uma massa.
Forre uma tarteira pequena com a massa e leve-a a cozinhar no forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 20 minutos ou até a massa estar dourada.
Entretanto prepare o recheio. Pique a cebola e leve-a ao lume numa frigideira juntamente com um pouco de azeite, e deixe fritar. Acrescente depois os tomates secos partidos em bocadinhos e envolva bem. Finalmente acrescente os espinafres bem lavados e deixe cozinhar até que murchem. Tempere com sal e pimenta.
À parte bata o ovo com as natas e acrescente o queijo ralado. Retifique os temperos.
Coloque o recheio de espinafres e tomate seco espalhado pela base da tarte e termine com a mistura de natas, ovo e queijo.
Leve novamente ao forno pré aquecido a 180ºC e deixe cozinhar até que o recheio fique firme e dourado.
Sirva acompanhado com uma salada verde.


Bom Apetite!

Costeletas de Porco com Alecrim e Limão


Há já muito que não cozinhava com costeletas de porco, mas quando fui às compras achei que estavam com tão bom aspecto, que não resisti a trazer umas poucas para casa.
De imediato lembrei-me de as preparar de maneira simples e com sabores clássicos de alecrim e limão, e de dar uso às muitas ervas aromáticas que crescem agora quase “descontroladamente” no nosso canteiro do jardim.
E foi assim, que estas simples mas aromáticas costeletas vieram parar à nossa mesa.

Ingredientes para 4 pessoas:

6 costeletas de porco (usei costeletas do lombo)
3 colheres de sopa de azeite
3 dentes de alho
2 pernadas de alecrim
1 limão
sal e pimenta q.b.

Preparação:

Coloque as costeletas de porco numa taça e tempere-as com sal e pimenta, a raspa de limão, os dentes de alho picado, o azeite e o alecrim picado. Envolva bem as costeletas nesta marinada e deixe-as durante duas ou três horas.
Aqueça depois uma grelha no fogão (ou no churrasco) e grelhe as costeletas de ambos os lados até ficarem macias - atenção para não as deixar ficar secas.
Sirva as costeletas com rodelas de limão, batata assada e uma salada verde.


Bom Apetite!

Salada de Atum, Batata, Feijão Verde e Rúcula


Mais uma semana que começa. Cada vez mais pessoas em férias ou prestes a ir de férias. Os dias a ficarem novamente mais quentes e as ementas a ficarem mais leves. 
No cabaz semanal de fruta e legumes havia tomates deliciosos e feijão verde tenrinho. E uma cesta de batatas novas que me ofereceram.
Foi simples de decidir o jantar, juntando mais duas ou três coisinhas que havia em casa - como o outro “fiel amigo”, o atum de lata - e um molho simples de mostarda, azeite e limão.
E assim, uma taça muito colorida e composta foi o nosso jantar!

Ingredientes para 3 ou 4 pessoas:

3 latas de atum em azeite
4 batatas médias
350g de feijão verde
2 mãos cheias de rúcula selvagem
3 ovos
1/2 tomate coração de boi
10 tomates cereja
15 azeitonas descaroçadas

Molho:
1 colher de chá de mostarda de grão à Antiga
1 colher de chá se sumo de limão
3 colheres de sopa de azeite
sal e pimenta q.b.

Preparação:

Lave e descasque as batatas. Corte-as em gomos e leve-as a cozer em água temperada de sal, juntamente com os ovos.
Entretanto prepare o feijão verde cortando as pontas, retirando o fio (caso tenha) e cortando-o ao meio no sentido do comprimento. 
Quando a água onde cozem as batatas e os ovos levantar fervura, acrescente o feijão verde. Quando tudo estiver cozido retire, escorra e deixe arrefecer.
No fundo de uma taça larga coloque a rúcula.  Acrescente o tomate coração de boi partido em cubinhos, os tomates cereja cortados ao meio ou em quartos, as azeitonas também cortadas ao meio e o atum previamente escorrido.
Junte depois as batatas, o feijão verde já arrefecidos e os ovos descascados e cortados em quartos. Envolva tudo muito bem.
Entretanto prepare o molho misturando todos os ingredientes e batendo bem com um garfo para incorporar. 
Sirva a salada com o molho.


Bom Apetite!

Imprimir