Arroz de Pato Assado


Quando me perguntam com o prato que prefiro fazer para muitas pessoas - especialmente se for um almoço ou jantar volante - arroz de pato estará certamente no topo das minhas preferências. Primeiro porque quase todos gostam. Depois porque é possível comer de pé, apenas com um garfo. Depois porque é indicado para os mais pequenos, os mais velhos e todos os outros. Rende muito. Não tem ossos, nem peles. Pode ser preparado com antecedência. Se sobrar é perfeito para congelar. Não obriga a/o cozinheira/o a estar em preparações de ultima hora e afastada das pessoas que está a receber. Para mim estas são razões suficientes para um prato resultar em festas e encontros familiares.
E acredito que todos temos A receita de arroz de pato. A que era da mãe ou da avó, da tia ou da prima. Há tantas maneiras de preparar arroz de pato, como de fazer bacalhau com natas. Cada um tem a sua receita maravilha. Acabo quase sempre a fazer a mesma, a receita da minha mãe, e que já publiquei aqui no blogue há muitas anos atrás. Já experimentei com molho de soja, numa outra versão que me falaram.
Mas entretanto, num dos últimos workshops que dei, entre as receitas que fazemos, a risota, os momentos de conversa e a partilha de outras receitas, a Ana lá surge com a sua receita de arroz de pato, preparada com pato assado. Assim que defini que ia fazer arroz de pato para o almoço de padrinhos e afilhados, a receita escolhida foi a receita da Ana. Mas havia um problema. Eu não tinha a receita, e tinha-a apenas ouvido vagamente durante o workshop. Toca de pedir por mensagem a receita, para colocar mãos à obra. Por motivos pouco importantes para esta história, a receita tardava em vir, e eu estava com pressa de a colocar em andamento, uma vez que o pato tinha de assar.. Avancei , às escuras, sem a receita.
Quando a receita chegou finalmente às minhas mãos, eu tinha um pato a assar, apenas temperado com sal e pimenta, e uma receita em que o pato assava com bem mais ingredientes.
Acabei a adaptar a receita com o que já tinha feito, mas incluindo todos os outros ingredientes na fase do caldo, em vez de os ter acrescentado ao pato a assar.
Mesmo assim o arroz ficou delicioso, mais saboroso - na minha opinião - do que o arroz com o pato cozido, apesar de, devo dizer, o meu arroz de pato não ser nada de se deitar fora.
Partilho a receita que fiz, mas que não é bem a receita da Ana. Essa ficará para a próxima vez que fizer arroz de pato. 

Ingredientes para 8 pessoas:

1 pato com cerca de 2,5kg
3 chávenas de arroz carolino
1 chouriço
1 pedaço de bacon com cerca de 200g
2 cenouras
1 alho francês
1 cebola
1 laranja
Molho inglês q.b.
300ml de vinho tinto
3 cravinhos
sal e pimenta q.b.
Queijo parmesão q.b.

Preparação:

Tempere o pato com sal e pimenta e coloque-o num tabuleiro com grelha - para que o pato ao assar deixe escorrer a gordura. Leve depois a assar no forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 2 horas.
Quando o pato estiver assado, retire-o do forno e deixe-o arrefecer um pouco antes de o desfiar, reservando não só a carne, mas também ( e à parte) os ossos e as peles. 
Coloque depois uma panela grande ao lume e coloque um pouco da gordura que o pato largou durante a assadura - cerca de 3 colheres de sopa. Acrescente a cebola em meias luas, o alho francês e a cenoura em rodelas e deixe refogar um pouco até a cebola começar a murchar. Acrescente depois as peles e os ossos do pato assado e deixe suar mais um pouco. Junte depois o vinho e deixe levantar fervura. Acrescente o sumo de laranja, o molho inglês a gosto, o chouriço e o bacon inteiros, o cravinho e acrescente de água (tem de ser suficiente para as 3 chávenas de arroz). Tempere de sal e pimenta e deixe ferver em lume brando até caldo estar apurado, e o sabor a vinho completamente evaporado. Vá provando, retificando os temperos e acrescente água se necessário.)
Depois do caldo pronto, retire o chouriço, o bacon e as rodelas de cenoura e reserve. Coe o restante caldo e meça-o, de modo a obter 6 chávenas (se não tiver 6 chávenas acrescente um pouco de água a ferver).
Coloque depois as 6 chávenas de arroz num tacho e deixe levantar fervura. Acrescente o arroz e deixe cozinhar em lume brando até o arroz ter absorvido toda a água. Desligue.
Num pirex ou tabuleiro de forno grande (no meu caso fez 2 tabuleiros grandes) coloque metade do arroz, cubra-o com o pato desfiado e termine com o restante arroz. Por cima disponha o chouriço e o bacon previamente cortado em pedaços, assim como as rodelas de cenoura.
Rale parmesão por cima do arroz, e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC até que fique dourado e chocante.
Sirva com uma salada.
(Se for para preparar de véspera, deixe a parte de alourar no forno - e aquecer - apenas para a altura em que o for servir. E o arroz congela muito bem depois de pronto, ficando com uma refeição feita para uma emergência!)


Bom Apetite!

7 comentários :

  1. Anónimo09:43

    Adoro arroz de pato, apesar de não o fazer frequentemente, pela falta de tempo para a cozedura do pato. Irei guardar esta receita, para experimentar numa altura em que tenha maior disponibilidade de tempo. Acredito que esta versão seja deliciosa, bem como a da receita da Ana, pois os alimentos assados (carne/peixe/legumes)ficam com um sabor diferente, mais intenso. Um grande beijinho, Sara Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Adoro um bom arroz de pato. Está muito apetitoso!! Humm..
    Beijinhos

    http://bimbysaboresdavida.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Anónimo15:08

    Deve ficar muito bom e menos seco que a receita que faço. Vou experimentar. Mas o que me agrada mais é recomendar arroz carolino, tão característico desta região e sempre associado a um bom arroz de pato.
    Grata pela partilha.
    L.

    ResponderEliminar
  4. Boa noite Joana! Adorei a receita e quero muito pô-la em prática, mas surgiu-me uma dúvida: nos ingredientes indica molho inglês mas na preparação fala em molho de soja. Qual deles é que usa neste arroz de pato? Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tina,

      Peço desculpa que o erro foi meu, mas já está retificado. É molho inglês!

      Um beijinho,
      Joana

      Eliminar
  5. Boa tarde Joana,
    Não quer dizer "Coloque depois as 6 chávenas de caldo num tacho e deixe levantar fervura?" :)
    Obrigada pela partilha! Vai ser o meu almoço de Domingo de amanhã para a família! Assei também o alho francês, a cebola e a cenoura, mal posso esperar para provar :)

    Catarina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Junto sempre um pouco de anis estrelado ao caldo, assim como raspa de laranja, limão, cravinho e hortelã. Dá-lhe um pequeno toque oriental.

      Eliminar

Imprimir