Tarte de Framboesa e Amêndoa


As vésperas de fim de semana são sempre alturas ideias para preparamos um bolinho ou sobremesa para o fim de semana.
Quando têm em casa uma tarteira nova e maravilhosas framboesas frescas, a ideia ganha ainda mais sentido, e quase de imediato que sabemos que queremos fazer uma tarte.
No meu caso a ideia inicial era de chocolate e framboesas, mas a inspiração às vezes surge quando menos contamos. São demasiado programas de culinária, livros e revistas, blogues e sites que enchem algumas horas do meu dia. E, apesar de uma ideia em mente, depois de um programa de culinária inglês, entre padeiros e pasteleiros a fazerem pequenas maravilhas, a ideia de uma massa de amêndoa e as minhas adoradas framboesas já tinha ganho pontos à ideia original.
A seta do Zé Maria prova ver a melhor hora para cozinhar aqui por casa. E assim foi. Enquanto o rapaz punha em dia o sono da tarde, a mamã foi para a cozinha preparar uma tarte bonita e saborosa e que se prepara em pouco tempo.
O resultado final não me poderia ter deixado mais satisfeita, e resulta numa tarte não demasiado doce e com as framboesas a explodirem na boca a cada dentada. 
Depois de provada e aprovada por mim (que só posso mesmo comer um pedacinho por causa - novamente - dos meus diabetes estacionais), foi mais tarde a vez do Miguel dar também a sua aprovação. É sempre um bom sinal, quando ele chega à cozinha e pergunta se pode comer. (Não que eu seja uma tirana e não o deixe comer, mas porque ele não sabe se as fotos para o blogue estão tiradas…)E sim, também ficou aprovada por ele, que repetiu uma nova fatia com o café, depois de jantar.
Sugestão de fim de semana. Aventuram-se? 




Ingredientes:

1 placa de massa quebrada ou areada refrigerada (também pode optar por fazer a sua própria massa)
125g de framboesas frescas
60g de manteiga à temperatura ambiente (amolecida)
60g de açúcar
1 ovo grande
40g de amêndoa moída (farinha de amêndoa)
15g de farinha 
açúcar em pó para decorar

Preparação:

Forre uma tarteira de fundo amovível com a massa e pique-a com um garfo. Reserve no frigorífico.
Numa taça coloque a manteiga, o açúcar, o ovo, a amêndoa e a farinha e bata com a batedeira até obter uma mistura suave e homogénea.
Barre depois a mistura de amêndoa pela tarteira. Inicialmente pode parecer-lhe pouca quantidade, mas a mistura vai crescer. Disponha depois, enterrando ligeiramente as framboesas e leve a tarte ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 30 minutos ou até a massa crescer e ficar com um aspecto dourado. Retire do forno e deixe arrefecer.
Depois de fria polvilhe com o açúcar em pó a gosto. (Se gostar poderá fazer um pouco de glacê com o açúcar em pó e umas gota de água e aplicar com uma colher, fazendo um padrão de Zig-Zag).


Bom Apetite!

Bifinhos com Manteiga e Alho, Espargos com Bacon e Feijão Preto


As receitas de todos os dias não têm de ser elaboradas e complicadas. Talvez a de hoje seja até demasiado simples e corriqueira para estar aqui. Mas representa aquilo que são as refeições de todos os dias. Aquilo que se come na minha casa e, com uma ou outra alteração, aquilo que se come em casa de muitas famílias. Coisa simples como arroz, carme, legumes. A maneira como se faz, e os acompanhamentos podem trazer a inspiração para tornar um prato do dia a dia numa coisa ligeiramente diferente. No entanto a essência de familiar, de comida para todos os dia, de alimentar os nossos, tudo isso está nesta simples receita que hoje vos trago.

E hoje é o primeiro dos 3 workshops na iniciativa Moda Up, da Marque Soares. Para quem não pode estar hoje presente não desanime. Estarei cá novamente dia 30 de Abril e dia 7 de Maio. Além de workshops ligados à culinária, e como poderão ver no cartaz abaixo, há outro tipo de workshops, iniciativas e encontros, para todos os gostos.



Ingredientes:

4 bifinhos pequenos e finos
3 dentes de alho
2 folhas de louro
50g de manteiga
sal e pimenta q.b.
1 lata pequena de feijão preto
1/4 pimento vermelho
1/4 de chouriço ou bacon
8 espargos verdes (frescos de preferência)
8 fatias de bacon sem courato

Preparação:

Tempere os bifinhos com um pouco de sal e pimenta e reserve.
Entretanto prepare os espargos, cortando a parte fibrosa do fundo, e leve-os a cozinhar 3 minutos em água a ferver, temperada de sal e pimenta. Escorra-os e reserve, deixando arrefecer.
Lamine 2 dentes de alho e coloque-os numa frigideira juntamente com a manteiga e uma folha de louro. Deixe a manteiga derreter e acrescente os bifinhos deixando-os cozinhar de ambos os lados até estarem cozinhados a seu gosto, mais ou menos passados.
Entretanto enrole as fatias de bacon nos espargos e leve-os a grelhar numa chapa com um fio de azeite, até que o bacon esteja crocante e os espargos cozinhados. Se gostar tempere com uma pitada de pimenta moída na hora.
Para o feijão preto, leve um tachinho ao lume com um dente de alho bem picado, o pimento vermelho em cubinhos, o louro e o chouriço ou bacon em pequenos pedaços. Acrescente um fio de azeite e deixe que o chouriço comece a fritar e a libertar a sua gordura. Acrescente depois o feijão preto, envolva bem, retifique os temperos e deixe ferver cerca de 5 minutos para apurar.
Sirva os bifinhos com os espargos e o feijão preto e acompanhe com arroz branco e uma salada verde.


Bom Apetite!

Masala Dosa


Os sabores exóticos e orientais fazem parte da minha lista de preferências. É por isso muito frequente existirem por aqui receitas com especiarias, que eu acho que são quase como pós mágicos, que fazem a diferente entre uma coisa banal e uma coisa especial.
Esta Masala Dosa, que é basicamente um crepe indiano preparado com farinha de grão de bico e recheado com uma espécie de caril de batata doce e ervilhas, foi outra das nossas refeições livres de carne e de peixe. Até o pequeno Zé Maria provou, dizendo que “pica”, não que estivesse picante, mas talvez um pouco temperado demais para o seu paladar ainda muito ligeiro e pouco adaptado a estas aventuras gastronómicas. Para ele havia algo mais convencional, mas é normal acompanhar-nos na maioria das vezes nas nossas refeições “meat free”.
O caril de batata doce e ervilhas, que serve de recheio, é por si só uma excelente refeição. E com umas “apas” ou pão naan têm também uma refeição deliciosa, aromática e exótica.

E é já amanhã que estarei no Porto, na iniciativa Moda Up, da Marque Soares. Para quem não pode estar presente esta quinta feira, dia 23 de Abril, não desanime. Estarei cá novamente dia 30 de Abril e dia 7 de Maio. Além de workshops ligados à culinária, e como poderão ver no cartaz abaixo, há outro tipo de workshops, iniciativas e encontros, para todos os gostos.



Ingredientes para 2 pessoas:
(adaptado de “The Green Kitchen Travels”, página 81)

Para os crepes (Dosa):
125g de farinha de grão de bico
40g de farinha de arroz
sal q.b.
1 colher de sopa de sementes de nigella (também conhecidas como cominhos pretos)
250ml de água

Recheio:
2 batatas doces
100g de ervilhas (frescas ou congeladas)
1 molho pequeno de coentros frescos
1 colher de óleo vegetal
1 cebola pequena
1 colher de chá de Garam Masala
1/2 colher de chá de gengibre em pó
1 colher de sobremesa de Curcuma (açafrão das índias)
piri-piri a gosto

Preparação:

Descasque as batatas doces e corte-as em cubos. Leve-as depois a cozer, até ficarem macias em água temperada de sal. Escorra e reserve.
pique depois a cebola e leve-a a fritar no óleo vegetal. Acrescente depois todas as especiarias e deixe cozinhar em lume brando até as especiarias libertarem todo o seu aroma. Junte depois as batatas já cozinhadas e as ervilhas e envolva bem, deixando aquecer e esmagando tudo com as costas da colher de pau. Acrescente os coentros picados, envolva e reserve.
Entretanto prepare os crepes (dosas). Numa taça misture a farinha de grão de bico com a farinha de arroz, as sementes de nigella (se tiver) e o sal. Acrescente a água até formar uma massa grossa.
Entretanto aqueça uma frigideira anti aderente com um pouco de óleo ou manteiga e verta um pouco de massa, de modo a cobrir o fundo da frigideira. Deixe cozinhar de um lado e vire para cozinhar do outro lado. Repita até esgotar a massa. (Dependendo do tamanho da frigideira e da grossura que fizer os seus crepes, pode conseguir fazer 2 ou 4. Eu fiz dois grandes)
Recheie agora cada um dos crepes com a mistura de batata doce e ervilhas e enrole cuidadosamente.
Sirva com iogurte grego misturado com hortelã picada (raitha)e um pouco de chutney.


Bom Apetite!

Chow Mein de Legumes


As refeições sem carne ou peixe continuam a ser preparadas aqui por casa.
É um exercício de que gosto muito, este de fazer uma refeição sem carne ou peixe, mas principalmente de encontrar receitas realmente atrativas e cheias de sabor, das quais nem nos lembramos que não estamos a comer carne ou peixe. E, se procurarmos há realmente muitas receitas interessantes que valem a pena ser experimentadas.
Esta foi uma das últimas e, é tão cheia de sabor que nem sentimos a falta da carne ou do peixe. E é também uma boa maneira de terminar os legumes que estão no frigorífico, uma vez que podem juntar qualquer legume ao salteado, desde couve em juliana a cenoura ralada, pimento ou cogumelos, beringela ou curgete em cubinhos.
Fazer uma ou duas refeições por semana sem carne ou peixe é uma boa forma de controlar a quantidade (e normalmente o excesso) de proteínas que consumimos, e também uma forma de conseguirmos controlar o nosso orçamento. Permite fazer refeições com poucas coisas e “limpar” o frigorifico. Haja uns legumes (frescos ou congelados), um pouco de massa ou de arroz ou folhas verdes, ovos, umas especiarias e certamente que há jantar na mesa.
Se ainda não instituíram o vosso dia “meat-free” acho que devem começar a pensar nisso!

E para as meninas do Porto e Arredores, haverá também alguns workshops no Porto, na Marques Soares, na iniciativa Moda Up, de 10 de Abril a 9 de Maio, entre os quais de culinária, onde estarei presente. Dias 23 e 30 de Abril e 7 de Maio. Descubram mais informações no folheto abaixo.




Ingredientes para 2 pessoas:

125g de massa chinesa (noodles com ovo)
50g de ervilhas de quebrar
1 cebola pequena
1/2 pimento vermelho
6 cogumelos 
1 dente de alho
1 colher de café de gengibre fresco ralado
sal q.b.
1 colher de sopa de azeite
4 colheres de sopa de molho de soja
2 colheres de sopa de óleo de sésamo tostado

Preparação:

Prepare os legumes. Corte a cebola em meias luas finas, lamine os cogumelos, retire o fio às ervilhas e corte-as em pequenos pedaços na diagonal e corte o pimento em tiras finas e pequenas.
Leve uma frigideira ao lume com o azeite e deixe aquecer. Acrescente os legumes, o gengibre e o alho picado e deixe saltear até que os legumes comecem a ficar murchos mas mantenham a sua textura e continuem crocantes. Tempere com 2 colheres de sopa de molho de soja e envolva bem. (Se achar necessário tempere também com uma pitada de sal!)
Entretanto cozinhe os noodles de acordo com as instruções da embalagem e até que estejam  cozinhados. Escorra-os bem e envolva-os nos legumes salteados. Tempere com o restante molho de soja e com o óleo de sésamo tostado e envolva bem.
Sirva de imediato com mais molho de soja para quem desejar poder acrescentar ao seu prato.


Bom Apetite!

Batido de Banana e Papaia e Tosta com Ovo, Abacate e Tomate


Antes de mais, muito obrigada a todos os que enviaram mensagens e comentários e partilharam connosco a alegria de termos mais um bebé a caminho. Nem imaginam como fiquei contente com tantas mensagens de amizade e carinho. Na quase impossibilidade de vos agradecer pessoalmente a todos, deixo-vos aqui um grande bem-haja colectivo e um enorme beijo de amizade. Obrigada pelo vosso carinho.
Quanto à receita de hoje, todos os fins de semana são a desculpa perfeita para um brunch ou pequeno almoço mais composto. Nem sempre há tempo ou vontade, mas quando se acorda cheia de vontade de um pequeno almoço reforçado há que fazer exatamente o que nos apetece. Foi o que aconteceu.
Fatias de pão caseiro com sementes, fruta madura e deliciosa, ovos caseiros e um fantástico abacate mesmo no ponto. Foi o mote para este delicioso pequeno almoço a chamar o bom tempo.

E para as meninas do Porto e Arredores, haverá também alguns workshops no Porto, na Marques Soares, na iniciativa Moda Up, de 10 de Abril a 9 de Maio, entre os quais de culinária, onde estarei presente. Dias 23 e 30 de Abril e 7 de Maio. Descubram mais informações no folheto abaixo.



Ingredientes para 2 pessoas:

Batido:
1 banana
1/2 papaia madura
350ml de leite
2 colheres de sopa bem cheias de iogurte grego natural

Tosta:
2 fatias de pão de cereais
2 ovos
1/2 abaate
1 tomate maduro
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.


Preparação:

Comece por preparar os ovos. Leve um tacho ao lume e deixe a água levantar fervura. Depois junte um esguicho de vinagre e misture a água com uma vara de arames, de modo a fazer um remoínho. Abra o ovo para uma taça e coloque o ovo no centro desse remoinho deixando-o cozinhar cerca de 3 minutos. Colocando o ovo no centro do remoínho este deverá ficar com a clara a envolver a gema e ficar com a forma ideal. Retire cuidadosamente o ovo com uma escumadeira e coloque a escorrer o excesso de água em papel absorvente.
Entretanto torre as fatias de pão e reserve. Corte o tomate em fatias.
Retire a polpa ao abacate e esmague-a com um garfo juntamente com uma pitada de sal.
Monte a tosta colocando-a num prato e barrando com a pasta de abacate. Disponha por cima as fatias de tomate e por cima destas o ovo escalfado. Tempere com uma pitada de sal e pimenta e regue com um fio de azeite.
Para o batido, coloque todos os ingredientes no copo liquidificador, ou num copo alto e bata com a varinha mágica ou na liquidificadora, até obter uma mistura cremosa. (Se achar necessário, junte um pouco de açúcar!).
Sirva o batido com a tosta.


Bom Apetite!

Um cá fora e outro no forno!


Tanto que andei para aqui a falar das novidades, das mudanças e alterações que iam aqui por casa, dos novos projetos, que acho que já está mais do que na altura de partilhar com todos. 
Por aqui esperamos outro bebé. Em Setembro, se tudo correr bem, nascerá o novo membro da família que, apesar das apenas 17 semanas de gestação, já sabemos que é outro rapaz. E, claro, estamos muito, muito felizes.
Depois de 5 anos a tentar ter um filho, depois de esperas, momentos menos felizes e tratamentos falhados, depois de até ponderarmos a nossa vida sem filhos, surgiu a tão esperada gravidez o o pequeno Zé Maria. Mas sempre tivemos o desejo de ter uma família maior, e um filho único nunca seria por escolha nossa, apenas das circunstâncias. Enquanto estivesse ao alcance das nossas capacidades, ter outro filho continuaria a ser um projeto de vida.
Quando quase nos preparávamos para dar inicio a um novo tratamento, descubro que estou grávida. Depois de tantos anos para conseguir engravidar do Zé Maria, depois de 3 fiv´s, eis que surge uma gravidez espontânea. Devo dizer que fiquei em choque. Por um lado desejávamos muito este bebé, mas por outro parecia-me quase “mágica” a forma como ele tinha acontecido. Para mim engravidar é  (era?) sinónimo de agulhas, médicos, hormonas, ecografias, esperas, biólogas, procedimentos médicos, numero de óvulos e de embriões. Tudo foi diferente desta vez.
Apesar dos mesmos medos, das mesmas inseguranças, do pavor de alguma coisa de mal acontecer, a gravidez vai correndo bem. E nós temos um sorriso do tamanho do mundo e sentimo-nos as pessoas mais felizes à face da terra. E claro que era inevitável não partilhar esta alegria com todos aqueles que aqui me seguem e têm sempre uma palavra de carinho e de amizade para comigo.
E depois porque esta é uma história de esperança. De pequeno “milagre” no dia a dia. Porque felizmente eles acontecem. E desta vez, apesar das inúmeras histórias iguais que fui ouvindo, nunca acreditei que um dia me pudesse acontecer a mim. Mas aconteceu.
Uma espécie de euromilhões, de lotaria, de jackpot, de encontrar a agulha no palheiro, de passar um camelo pelo buraco da agulha, de ganhar este prémio infinito de um amor para sempre eterno.
Estou muito feliz por ter mais um “pãozinho no forno”!


Haja sonhos e projetos de vida e vontade de os concretizar. Haja alguém a guiar-nos no nosso caminho e o sabermos que não estamos sozinhos. E também a força de saber que seja qual for o destino, seja qual for o caminho, seja qual for a meta, no fim tudo vai ficar bem. 

Bolachas Com Aveia e Pepitas de Chocolate


Os dias de chuva e trovoada lembram mais o inverno e a lareira acesa do que propriamente o início de primavera.
Talvez por isso a vontade de fazer bolachas e pão e esse género de coisas, seja maior.
Desta vez umas bolachinhas, em repetição da receita que já tinha preparado para colocar nos cabazes de Páscoa dos afilhados. Sei que foram um sucesso nos mais pequenos e também nos crescidos!



Continuo também a convidar-vos para o workshop de Brunch, que decorrerá este domingo, dia 19 de Abril às 10h, na Quinta do Ribeiro, em Antuzede - Coimbra. Se não conhecem a Quinta, nem imaginam como vai ser agradável poder desfrutar de um brunch, com este tempo magnífico à beira da piscina, ou no lindíssimo jardim. Ainda há algumas vagas, mas inscrevam-se e fiquem saber mais no endereço workshopquintaribeiro@outlook.com.



E para as meninas do Porto e Arredores, haverá também alguns workshops no Porto, na Marques Soares, na iniciativa Moda Up, de 10 de Abril a 9 de Maio, entre os quais de culinária, onde estarei presente. Dias 23 e 30 de Abril e 7 de Maio. Descubram mais informações no folheto acima. As iniciativas várias, começam já este fim de semana! 


Ingredientes para cerca de 20 bolachas:

300g de farinha
50g de flocos de aveia
1 colher de chá de fermento em pó
100g de açúcar
100g de pepitas de chocolate ou de chocolate de culinária partido em pedacinhos
125ml de óleo vegetal (usei de girassol)
125ml de geleia de milho (à venda em lojas como o celeiro, mas podem substituir por mel ou maple syrup)
1 ovo

Preparação:

Numa taça misture a farinha com os flocos de aveia, o fermento, o açúcar e as pepitas de chocolate. Faça um buraco ao centro e acrescente o óleo, a geleia de milho e o ovo previamente batido.
Misture até todo os ingredientes estarem combinados.
Forre tabuleiros com papel vegetal e coloque colheradas de massa  - espaçadas para que cresçam sem se colarem umas nas outras.
Leve a cozinhar em forno previamente aquecido a 180ºC cerca de 15 minutos até as bolachinhas ficarem douradas.
Retire e deixe arrefecer antes de as guardar numa caixa hermética.


Bom Apetite!

Imprimir